JáT'Explico

Secretário de Estado da Educação defende que proteção das crianças não pode parar

Estão a ser preparados os futuros anos letivos, destacando os principais eixos a executar para a construção de escolas mais seguras e protetoras, diz o secretário de Estado Adjunto e da Educação.

O secretário de Estado Adjunto e da Educação considerou esta quinta-feira que a proteção das crianças na escola não pode parar, bem como o aumento da inclusão, defendendo a necessidade de “consolidar práticas inclusivas“.

Nós tivemos escolas fechadas, mas a educação não parou [devido à pandemia] em Portugal e a proteção não pode parar“, afirmou João Costa na abertura de um webinar organizado pela Câmara Municipal de Cascais, sobre os direitos das crianças na escola em contexto de pandemia.

O secretário de Estado da Educação sublinhou que estão a ser preparados os futuros anos letivos, destacando os principais eixos a executar para a construção de escolas mais seguras e protetoras, refletidos no Plano 21|23 Escola+, apresentado pelo governo no Dia Mundial da Criança, dia 1 de junho.

“O plano de recuperação em contexto educativo tem as aprendizagens como um dos eixos prioritários. As dimensões que têm que ver com a capacidade de aprender, de relacionamento com os outros são medidas que assumem um caráter emergencial. E, por isso, um dos domínios de atuação principal do plano está centrado na inclusão e no bem-estar”, explicou.

O governante disse que a criação de uma vivência de bem-estar na escola passará pelo reforço dos planos de desenvolvimento pessoal e comunitário ligados às artes, do acompanhamento aos alunos, do trabalho associado às competências socioemocionais, e da inclusão “que será integrada na matriz organizacional das escolas“.

Para muitos alunos o principal obstáculo às aprendizagens não está em qualquer dificuldade de aprendizagem está no não acreditar que é capaz e não se sentir parte da comunidade. Sempre que falamos de inclusão estamos a falar de cidadania, e só não consegue participar quem sente que está de fora”, sublinhou.

A abertura do evento foi também marcada pelas intervenções do presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, e da diretora executiva do Comité Português para a UNICEF, Beatriz Imperatori, que reforçaram a importância de manter o tema dos direitos das crianças na agenda política global.

webinar “Direitos das crianças na escola em contexto de pandemia — Ações para escolas (ainda) mais seguras e protetoras” foi organizado, no âmbito do projeto “Medidas para a ação local no pós-confinamento em contexto educativo“, criado para refletir com a comunidade educativa sobre as medidas para a promoção de ambientes seguros e protetores para as crianças e jovens no pós-confinamento em contexto educativo.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.